terça-feira, abril 30, 2013

Festas e protestos vão marcar o Dia do Trabalho em Curitiba



Diversos eventos vão agitar o Dia do Trabalho deste ano em Curitiba. O principal evento ocorre na Praça Nossa Senhora da Salete, no Centro Cívico da capital: a 12ª edição do "1º de Maio Solidário". A previsão é que acontecerão ainda protestos no centro de Curitiba e até corrida de carrinhos no Ceasa. No interior, as festas das centrais sindicais também vão movimentar o ferido.
A festa 1º de Maio Solidário deve receber cerca de 120 mil pessoas na capital, segundo a Força Sindical do Paraná -- organizadora do programa. A comemoração está prevista para começar ao meio-dia, com a missa do trabalhador, que será celebrada pelo padre Reginaldo Manzotti. Na sequência, líderes sindicais e autoridades da política – entre eles o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB) – abrem oficialmente o evento, que contará com um sorteio de cinco carros zero quilômetro, dez motos, dez televisores, dez computadores e dez refrigeradores às 15 horas.
Os cupons para participar do sorteio podem ser obtidos mediante a entrega de um quilo de alimento não perecível ou um agasalho, nas barracas montadas no local até as 15 horas. Durante a tarde, também haverá shows com a dupla de música sertaneja João Bosco & Vinícius, e demais ações gratuitas de cidadania para o público. Em 2013, o “1º de Maio Solidário” ocorre simultaneamente em 18 cidades paranaenses, entre elas Londrina, Morretes, Ponta Grossa e Foz do Iguaçu.
A Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), por sua vez, resolveu usar a data para contestar. A partir das 9 horas, no Largo da Ordem, no centro de Curitiba, entidades ligadas ao movimento – como o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP Sindicato) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) – vão se reunir para protestar contra o aumento da passagem em Curitiba e região metropolitana, as privatizações estaduais e federais e também contra os malefícios trazidos pela Copa do Mundo (“a precarização do trabalho e a remoção de comunidades para a construção de obras para o megaevento esportivo”).
Após a abertura do protesto, o grupo seguirá até a Praça João Cândido com apresentações culturais e intervenções sobre os temas centrais.
De iniciativa do Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado do Paraná (Sindaruc), a Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasa) realiza a 8ª corrida de carrinhos na Ceasa. Este ano, a novidade é que as mulheres poderão participar da brincadeira, que ocorre às 15 horas, na Ceasa.
Além da corrida, quem for até o local terá acesso gratuito a serviços de saúde e corte de cabelo. Para as crianças haverá brinquedos infláveis, cama elástica, jogos, oficina de argila, pintura livre e esportes recreativos. Haverá ainda lanche gratuito servido sem restrição de quantidade a partir do meio-dia.
A União Geral dos Trabalhadores no Paraná informou que não vai programar eventos para a data.
Cinema
Para os apreciadores de filme, a Cinemateca de Curitiba exibe, entre os dias 1.º e 7 de maio, a Mostra Primeiro de Maio, que celebra a data quando é comemorado o Dia do Trabalho. A mostra reúne filmes nacionais premiados que tratam da luta dos trabalhadores brasileiros ao longo da história. Confira aqui a programação completa.
Foz recebe pela primeira vez 1º de Maio Solidário
A Força Sindical do Paraná, em parceria com o Governo do Estado, trazem pela primeira vez a Foz do Iguaçu a festa do trabalhador; “1º de Maio Solidário”. O evento será realizado a partir do meio-dia, na Praça da Bíblia, com diversas atividades culturais, apresentações musicais e recreação.
A exemplo de outras 15 cidades, o grande atrativo da celebração será o sorteio de 5 carros zero quilômetros, 10 motos 125 cilindradas, 10 geladeiras, 10 televisores, 10 computadores e mais 30 prêmios. Os cupons poderão ser trocados por alimentos e agasalhos.
O encontro celebra os 70 anos de criação da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). No bairro 1º de Maio, que completa na data 37 anos, a associação de moradores também prepara uma grande festa para o Dia do Trabalhador, com almoço festivo e baile, a partir das 15 horas na sede da Associação.
Na unidade do SEST/SENAT, a Festa do Trabalhador inicia ao meio-dia e segue até às 18 horas com apresentações musicais, serviços como aferição de pressão e teste de glicemia, e almoço por adesão.
Festa do trabalhador terá 20 toneladas de churrasco em Cascavel
Cerca de 500 voluntários estão envolvidos na organização da tradicional Festa do Trabalhador, promovida pelo Seminário São José, em Cascavel, no Oeste do estado. A expectativa dos organizadores é que sejam consumidos entre 15 e 20 toneladas de carne. Há 19 anos foi criada a Festa do Costelão que passou a integrar o evento e tornou-se tradicional.
De acordo com o padre Nilton Cesar Pedro, coordenador da festa, serão assados aproximadamente 600 costelões. “Nosso maior número de vendas de costelões é para empresas”, relata o padre. Empresários adquirem os costelões para confraternização do Dia do Trabalhador.
A festa, que neste ano está em sua 47ª edição, acontece nesta quarta-feira (1). Toda a renda da festa é revertida para a manutenção do próprio seminário que atualmente conta com 25 seminaristas. O evento atrai pessoas de cidades do Paraná e outros estados.
Em Londrina, data será marcada por festa e romaria
A tradicional festa do trabalhador do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil e Mobiliário de Londrina e região (Sintracom) está marcada para as 13 horas, no Estádio José Garbelini, na cidade vizinha de Cambé. Entre as atrações, estão apresentações de cantores e duplas sertanejas e sorteio de brindes como geladeiras, televisores, celulares e bicicletas. Para as crianças, haverá brincadeiras, piscina de bolinhas e algodão doce. O evento é gratuito e aberto a toda a população.
Já a Romaria do Trabalhador deste ano será no Residencial Vista Bela, empreendimento do “Minha Casa, Minha Vida”, com mais de 10 mil moradores na zona norte da cidade. A concentração está marcada para as 8h30, na Avenida Giocondo Maturi, onde começará a missa, presidida pelo arcebispo Dom Orlando Brandes.
Durante a celebração, os trabalhadores sairão em caminhada pelo bairro, refletindo sobre os desafios do mundo do trabalho. Com o lema “Na defesa e garantia dos direitos dos trabalhos: eis-me aqui!”, a romaria deve reunir cerca de duas mil pessoas. “O local foi escolhido pela quantidade de pessoas e pela precariedade das coisas lá. Teremos a missa com caminhada”, justifica o padre Claudinei Souza da Silva, assessor de comunicação da Arquidiocese de Londrina.
A Central única dos Trabalhadores (CUT) de Londrina não terá programação no dia 1º de maio, mas planeja palestras ao longo do mês do trabalhador.
O Núcleo de Comunicação da Prefeitura não informou se haverá programação do Município para o dia.
http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1367886&tit=Festas-e-protestos-vao-marcar-o-Dia-do-Trabalho-em-Curitiba

segunda-feira, abril 29, 2013

Ajuda!!!


Do que se trata?
Fizemos um concurso para a Polícia civil do Paraná em 2010, o governo prorrogou o prazo e vem contratando lentamente os aprovados o Deputado Mauro Moraes, vem ajudando e prometeu nossa nomeação para Julho desse ano, estamos bem perto. No entando os tramites que poderiam contribuir com esse prazo estão muito lentos e temos receio de dessa promessa não se cumprir.
O Paraná precisa aumentar o efetivo da Polícia Civil para que a instituição não entre em colápso prejudicando a população, nossa contrataçnao não pode ser uma questão política, deve ser entendida como uma necessidade do nosso estado.
Estamos com uma campanha no face, e gostaria muito da ajuda de vocês, pois,  as redes sociais bem como a força dos blogs tem impacto direto em questões públicas.
Muito Obrigado pela atenção.

adriano

http://www.facebook.com/nomeacaopcsetembro

Agências do Banco do Brasil não abrem nesta terça-feira


gências do Banco do Brasil de Curitiba e região metropolitana não vão abrir nesta terça-feira (30) por causa de uma paralisação de 24 horas dos bancários. O expediente será normalizado apenas na quinta-feira (2), já que na quarta-feira é feriado do Dia do Trabalho.
Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região não informou quantas e quais agências de Curitiba e região ficarão fechadas na terça. Uma assembleia foi marcada para as 18h desta segunda-feira (29) para definir como será o protesto. A paralisação foi definida em assembleia na última quinta-feira (25).

A manifestação faz parte de uma mobilização nacional contra uma mudança feita pela entidade bancária na carga-horária de um quarto dos funcionários do BB de oito horas para seis horas por dia. A redução implicou diminuição de cerca de 16,25% nos salários de 30 mil pessoas, conforme oSindicato dos Bancários de Curitiba e Região.Demandas
De acordo com o presidente da entidade, Otávio Dias, a medida foi tomada de maneira unilateral, sem o devido debate com os funcionários afetados. “Dentro dessa estrutura mudanças, vai haver reflexos em toda a carreira do funcionalismo. Fizemos diversas denúncias, com funcionários do banco, em reuniões plenárias etc. Como não existiu nenhum sinal do banco de conversar sobre esse assunto, organizamos o indicativo nacional de paralisação”, disse.
A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Banco do Brasil, por volta das 9h15, e aguarda retorno.

sexta-feira, abril 26, 2013

Doação de bens, mas com garantias



A aposentada Maria Cristina, 66 anos, vive um drama familiar. Há dez anos, ela decidiu repassar aos filhos a propriedade do único bem da família – um terreno localizado no bairro Hauer, em Curitiba – mesmo morando em uma pequena casa construída no local. Apesar disso, um dos filhos e o ex-marido dela passaram a pressioná-la a deixar o imóvel. “Eu só quero um cantinho onde eu possa viver em paz”, diz.
Apesar da pressão dos familiares, Maria Cristina tem um trunfo a seu favor: a doação do terreno foi feita com reserva de usufruto vitalício. Ou seja, ela tem garantido o direito de permanecer no imóvel até o fim da vida. Tudo ali, preto no branco, assegurado por lei.
“O usufruto é um mecanismo muito usado, por exemplo, por pais que, ainda em vida, querem repassar seus bens aos filhos, sem deixar de usá-los e fruí-los”, explica o advogado e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Rodrigo Xavier Leonardo, pós-doutor na área.
Para evitar dores de cabeça, a Gazeta do Povo preparou um passo a passo de como formalizar a doação de bens com reserva de usufruto, com base em orientações de Xavier Leonardo e do advogado e professor de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) José Ribeiro. Acompanhe abaixo as principais dicas e dúvidas sobre o assunto:
1 - O QUE É
A doação com reserva de usufruto é o meio pelo qual o proprietário pode transmitir para outra pessoa a propriedade de um bem. Mas o proprietário tem o direito de continuar a usar este bem, administrá-lo e gozar de seus “frutos”.
No caso de um pai que vai repassar os bens a parentes, é preciso respeitar a herança legítima. Os herdeiros prejudicados no processo podem recorrer ao Judiciário para contestar o ato.
2 - PARTES
Com a formalização da doação com reserva de usufruto, consolidam-se duas partes. O “usufrutuário” é quem repassou o bem, mas que permanece a usá-lo, administrá-lo e fruí-lo. Já o “nu-proprietário” é quem recebe o bem, mas, automaticamente, cede a administração deste ao usufrutuário.
3 - TIPO E PERÍODO
O usufruto pode recair tanto em bens móveis, como ações, investimentos e automóveis, quanto imóveis, como casas, terrenos e fazendas. Além disso, o usufruto pode ser vitalício (estendido por toda a vida do usufrutuário), a termo (com reserva de data), ou com condição resolutiva (até que se cumpra uma especificação) – o usufrutuário pode permanecer no imóvel até que conclua determinado curso, por exemplo.
4 - PARA O USUFRUTUÁRIO
Aquele que permanece no imóvel como usufrutuário passa a ter direito de uso, de administração e de recebimento de todos os frutos que possam advir do bem. Se o usufrutuário, por exemplo, alugar a casa cedida, o dinheiro fica para si. No caso de uma fazenda, ele pode explorar a produção agrícola.
Por outro lado, deve providenciar o inventário do bem, documentando o estado exato em que este se encontra. O procedimento é semelhante a um laudo de vistoria para a locação de um imóvel. O usufrutuário tem ainda o dever de cuidar adequadamente do bem, providenciando eventuais reparos.
5 - PARA O NU-PROPRIETÁRIO
O nu-proprietário tem garantido o direito de que o objeto ou imóvel seja bem cuidado e administrado pelo usufrutuário. Caso o bem não esteja sendo zelado adequadamente, o nu-proprietário pode pedir anulação do usufruto.
Em casos de danos causados por eventos alheios à vontade do usufrutuário, cabe ao nu-proprietário executar os reparos. Por exemplo, no caso de um imóvel danificado por um vendaval.
* * * * *
Formalização é feita em cartório
A doação de um bem com reserva de usufruto é formalizada em um tabelionato de notas, por meio de escritura pública. Assim que o documento estiver pronto, precisa ser registrado na matrícula dos imóveis em questão, em um cartório de registro de imóveis. Como envolve a emissão de uma série de certidões, o processo demora mais de 30 dias para ser concluído.
A segurança oferecida pelo mecanismo, no entanto, tem preço um pouco salgado. Para um imóvel avaliado em R$ 200 mil, por exemplo, as taxas para consolidar a doação e a reserva de usufruto somam cerca de R$ 6 mil.
30 DIAS é o tempo médio para formalizar a doação de um bem com reserva de usufruto.
Embate familiar no mesmo chão
Apesar de, como usufrutuária do terreno cedido aos filhos, Maria Cristina ter garantias legais de uso do imóvel, a aposentada enfrenta uma série de dissabores. À sua revelia, um dos filhos construiu uma oficina mecânica nos fundos do terreno. Ele e o pai tentam convencer Maria Cristina a deixar a casa em que vive.
Mas os especialistas revelam que a aposentada não deve abandonar o imóvel. “O usufrutuário não pode ser coagido pelo nu-proprietário (aquele que recebe o bem). Em casos extremos, em que há ameaça da posse, o usufrutuário pode recorrer ao Poder Judiciário contra o nu-proprietário”, explica o advogado Rodrigo Xavier.
Foi o que fez Maria Cristina. Nesta semana, ela procurou o Ministério Público, que vai apurar as denúncias. A tendência é que o órgão entre com um pedido de reintegração de posse na Justiça.
* * * * *
TIRA-DÚVIDAS
Acompanhe algumas das perguntas mais recorrentes quanto ao usufruto:
A doação da propriedade com reserva de usufruto pode ser feita apenas entre familiares?
Não. O bem pode ser repassado a qualquer pessoa.
O nu-proprietário pode vender o bem?
Pode. Mas o usufruto também tem efeito perante terceiros. Ou seja, a pessoa que comprar o bem terá de respeitar o usufruto. O usufrutuário permanece fruindo o bem normalmente.
O que acontece em caso de falecimento do nu-proprietário?
Os herdeiros do nu-proprietário assumem o bem, e devem respeitar o usufruto.
Uma vez formalizado, o usufruto pode ser revertido?
Sim. Basta o usufrutuário renunciar por meio de uma escritura pública. Ele também pode vender o bem, juntamente com o nu-proprietário.
É melhor fazer um testamento ou uma doação com reserva de usufruto?
São maneiras diferentes de se fazer a transmissão de bens a terceiros. O testamento envolve todos os bens da pessoa que os repassa e só vai ter validade a partir do falecimento desta. Na doação com reserva de usufruto, os bens indicados pelo “doador” são repassados ainda em vida, embora este continue a frui-los. Ambas as formas de transmissão de bens tendem a ter um bom resultado, desde que não violem os direitos dos herdeiros.
* * * * *

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1366850&tit=Doacao-de-bens-mas-com-garantias

quarta-feira, abril 24, 2013

Professores fazem atos no PR e aulas são suspensas em parte das escolas







Professores e servidores das escolas estaduais do Paraná paralisaram as atividades nesta quarta-feira (24) e organizam atos em Curitiba e no interior do estado.
Paralisação não atinge todas as escolas de Curitiba
Nem todas as escolas de Curitiba paralisaram as atividades nesta quarta-feira. A reportagem da Gazeta do Povo entrou em contato com 15 colégios da rede estadual espalhados pela capital. Das 15 escolas consultadas aleatoriamente, 11 suspenderam as aulas nesta quarta-feira e quatro funcionavam normalmente.
Confira as escolas pesquisadas:
SUSPENDERAM AS AULAS
Col. Estadual Dom Orione (Santa Quitéria)
Col. Estadual Professor Lysímaco Ferreira da Costa (Água Verde)
Col. Estadual Tiradentes (Centro)
Col. Estadual do Paraná (Centro)
Col. Estadual Ermelino de Leao (Boa Vista)
Col. Estadual Dep. Olivio Belich (Cajuru)
Col. Estadual Luiz Carlos de P. Souza (Umbará)
Col. Estadual Professor Loureiro Fernandes (Ahú)
Col. Estadual Des. Guilherme A. Maranhão (Tatuquara)
Col. Estadual Professora Maria Aguiar Teixeira (Capão da Imbuia)
Col. Estadual Gemma Galgani (Abranches)
NÃO SUSPENDERAM AS AULAS
Col. Estadual Santa Felicidade (Santa Felicidade)
Col. Estadual Emílio de Menezes (Capão Raso)
Col. Estadual Polivalente (Boqueirão)
Col. Estadual Maria Pereira Martins (Barreirinha)
Algumas escolas estaduais não têm aulas hoje - nos três turnos - por consequência das manifestações. Em outras instituições, os professores decidiram seguir com o cronograma normal e não aderiram à paralisação. Os pais devem entrar em contato com as escolas para saber se haverá aulas ou não nesta quarta (veja no box o levantamento feito pela Gazeta do Povo sobre a suspensão das aulas). As atividades serão retomadas na quinta-feira (25).
A expectativa do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Paraná (APP-Sindicato) é de que 90% dos 88 mil professores do estado - que atendem 1,3 milhão de alunos - tenham suspendido as atividades nesta quarta-feira. O protesto faz parte do programa de mobilizações previstas na semana nacional de defesa à educação promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).
Secretaria de Estado da Educação (Seed) não tinha balanço ou estimativa, por volta das 12h, do número de escolas que suspenderam as aulas nesta quarta.
No Paraná, a principal reivindicação dos professores é a criação de um novo modelo de atendimento à saúde dos servidores. Os professores reclamam da falta de médicos, hospitais e a demora nos atendimentos realizados por meio do Sistema de Assistência à Saúde (SAS), órgão administrativo responsável pela cobertura médica-assistencial dos funcionários do estado.
Outras reivindicações da categoria são que um terço do tempo de trabalho seja dedicado à preparação e pesquisa para a elaboração das aulas, reajuste no piso salarial, realização de concurso público e pagamento de promoções atrasadas, entre outras.
A secretaria publicou uma nota oficial em seu site sobre a manifestação dos professores. “Com relação aos itens da pauta no Paraná, informamos que o diálogo com a categoria dos profissionais da educação, através de reuniões mensais, vem garantindo avanços significativos. A valorização dos professores é compromisso do Governo com a qualidade da educação”, informou a Seed. A pasta também informou o que está discutindo em cada questão. Acesse a nota completa da Seed.
Atos em Curitiba e no interior
Segundo a organização, aproximadamente 600 pessoas estavam concentradas no Centro Cívico, em frente ao Palácio Iguaçu, por volta das 9h30. Às 10 horas, a categoria fez o “enterro simbólico” do SAS. Pessoas vestidas de preto carregavam um caixão com a inscrição "SAS", ao som da marcha fúnebre.
À tarde, os professores irão à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) para acompanhar a votação de projetos na área da educação.
No interior, outros atos serão realizados nas cidades Apucarana e Arapongas (Praça Central de Apucarana, às 9h), Cambará (debate nas escolas), Campo Mourão (concentração na Praça do Fórum de Campo Mourão, às 8h30, com caminhada até a Praça São José), Cascavel (em frente à Catedral Nossa Senhora Aparecida, em Cascavel, às 10h), Cianorte (concentração na Praça 26 de julho, das 9 às 12h), Cornélio Procópio (ato no calçadão de Cornélio Procópio, às 9h), Francisco Beltrão (ato em frente do Núcleo Regional de Ensino de Francisco Beltrão, às 8h30), Guarapuava (ato na Praça 9 de dezembro, em Guarapuava, às 9h), Laranjeiras do Sul (ato na Praça José Nogueira Amaral, em Laranjeiras do Sul, às 9h), Londrina (ato no calçadão em frente ao Banco do Brasil, com concentração às 9h e caminhada até o SAS), Maringá (ato na Praça Raposo Tavares, em Maringá às 9h), Paranaguá (participarão do ato público estadual em Curitiba), Paranavaí (ato na Praça Central de Paranavaí, pela manhã), Pato Branco (ato na Sede do NS de Pato Branco e na Praça Central de Palmas, às 9h), Ponta Grossa (participarão do ato público estadual em Curitiba), Toledo (ato Praça Central de Toledo, concentração pela manhã às 9h e à tarde às 15h30), Umuarama (concentração na sede da APP de Umuarama, com presença da imprensa local, às 9h), União da Vitória (ato em frente à sede do sindicato, a partir das 9h).

terça-feira, abril 23, 2013

Mais que palavras e imagens


O recente anúncio do Mi­­nistério da Educação (MEC) de que incluirá livros digitais no Programa Nacional do Livro Didático voltado ao ensino médio mexeu com o mercado editorial no país, principalmente pela exigência explícita do uso de recursos que vão muito além da mera transposição de texto e imagens para uma tela de computador ou tablet. As editoras que pretendem colocar suas obras nas salas de aula da rede pública em 2015 precisam incluir uma série de ferramentas virtuais que acrescentem relevância ao produto enquanto instrumento de aprendizagem.
Reprodução/ View Comunicação
Reprodução/ View Comunicação / O livro Aqua­riaroom, de Francesco Zullino Yunes, foi adaptado para o formato digitalAmpliar imagem
O livro Aqua­riaroom, de Francesco Zullino Yunes, foi adaptado para o formato digital
E-book
Embora o termo e-book também seja usado para designar um livro digital, as editoras preferem diferenciar os produtos. O e-book está relacionado a livros de literatura em formato digital – não é usado para livros didáticos. Nos dois casos, o layout pode ser fixo ou variável (quando o número de páginas e a disposição das imagens mudam conforme a preferência do leitor em segurar o tablet ou smartphone). Já textos em PDF não são considerados nem um nem outro, devido à falta de recursos multimídia.
Conforme o edital do MEC, a inscrição de obras multimídia pode ser feita até 21 de maio e precisa ser acompanhada de um livro impresso com o mesmo conteúdo. As versões digitais deverão ter vídeos, áudios, animações, infográficos, mapas interativos, páginas da web e outros objetos que complementem as informações contidas nos textos escritos. Além disso, é necessário que se adaptem a diferentes plataformas, como tablets, smartphones, computadores, e possam ser acessadas pela internet.
Segundo Rogério Ver­deroce Vieira, sócio-proprietário da produtora de conteúdo digital View Comunicação, a preocupação do MEC em especificar os recursos exigidos é compreensível, já que muitos livros digitais produzidos hoje são simples demais e acrescentam pouco à versão impressa. Como o investimento do MEC no programa gira em torno de R$ 1 bilhão, o setor certamente passará por uma evolução nos próximos anos.
“As editoras passarão a exigir mais complexidade das produtoras de conteúdo digital porque o que se fazia até agora era mais ligado a brincadeiras e jogos do que ao ensino de fato”, diz Vieira. Ele conta que uma das dificuldades no setor é a adaptação dos autores de livros didáticos tradicionais às novas opções que o livro digital oferece.
Capacitação
O diretor-geral da Editora Positivo, Emerson Walter Santos, explica que uma confusão comum sobre o conceito de livro digital é pensar nele apenas como um livro no computador, semelhante aos arquivos em formato PDF. No entanto, a possibilidade de estudar com simuladores em uma aula de Ciências ou arquivos de áudio com a pronúncia correta em uma aula de idiomas proporciona experiências de aprendizagem bastante diferentes em relação à simples leitura de um texto.
A editora formou no último ano aproximadamente 120 mil professores em capacitações, oficinas e workshops que tratavam do uso de livros digitais. Na avaliação de Santos, as escolas passam por um momento peculiar, já que os alunos tendem a dominar muito melhor a tecnologia do que os professores. Com esse desequilíbrio, deve aumentar a procura de docentes por formação específica sobre livros digitais.
Avaliação
Otimismo e alertas para o bom uso de tablets nas escolas
A inclusão de livros digitais na educação pública chama a atenção sobre o uso da nova ferramenta. A coordenadora do curso de Pedagogia da UniBrasil, Paulla Helena de Carvalho, lembra que o livro impresso ou digital é um meio que não garante por si só a aprendizagem dos alunos. Para ela, as vantagens do livro digital, a princípio, parecem muito mais econômicas do que pedagógicas. “Há um enorme gasto do ministério [da Educação] com impressão e envio de livros. Nesse aspecto, parece ser uma opção válida”, diz.
Mas o benefício de poder acessar o livro pela internet traz outra questão à tona. “Onde os alunos vão acessar os livros? É enorme a quantidade de escolas no Brasil que não têm acesso à internet”, destaca Paulla. Para a professora, o livro digital será apenas um complemento ao material didático tradicional e não deverá ser usado com igualdade por todas as redes públicas. Dos 600 mil tablets prometidos pelo Ministério da Educação em fevereiro de 2012, apenas 382.317 foram entregues a professores do ensino médio até fevereiro deste ano.
Primeiros passos
Profissionais da rede privada de educação, no entanto, têm aderido aos livros digitais com mais otimismo. Recentemente, um projeto que envolve o uso de iPads rendeu ao Grupo Marista um convite da Apple para participar do lançamento no país do iTunes U, um aplicativo que reúne o conteúdo educacional produzido por escolas do mundo todo. O Colégio Santa Maria, de Curitiba, está entre os primeiros colégios do país a produzir um curso para o iTunes U.
No ano passado, a responsável por tecnologia educacional no Santa Maria, Janete Ranciaro, liderou o desenvolvimento de um e-book sobre o budismo, que foi usado por professores de Ensino Religioso. “Quando recebemos os tablets, baixei alguns aplicativos e vi que havia muita coisa apenas em inglês. Resolvi montar esse projeto de e-book direcionado ao 5º ano”, conta Janete. O sucesso do projeto resultou em mais dois e-books criados pelo próprio colégio. Um sobre o sistema solar, para o 2º ano, e um sobre Geografia, para o 3º ano.
A aluna Khadija Assis Paschoalatto, 11 anos, participou do projeto piloto nas aulas de Ensino Religioso e aprovou a experiência. “Você pode explorar mais. Na aula comum, às vezes, a gente não presta muita atenção. Com o tablet ficava todo mundo bem atento.”

segunda-feira, abril 22, 2013

Programa Geração Campeã leva atividades para crianças do Uberaba




O programa Geração Campeã, que vai levar atividades esportivas educacionais, culturais e de cidadania de forma gratuita para 120 crianças e adolescentes do Uberaba, foi lançado na manhã desta quinta-feira (18) no Centro de Juventude da Vila Audi/União.

A Prefeitura de Curitiba, através da Secretaria Municipal de Esporte Lazer e Juventude (Smelj), contribui com o projeto cedendo profissionais e locais para a prática das atividades esportivas e educativas. No Centro da Juventude Vila Audi/União vão ser realizadas aulas de basquete, de lazer e de psicomotricidade, enquanto no Parque Náutico serão feitas aulas de iniciação ao remo.

A solenidade contou com a presença do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, do secretário municipal de Esporte Lazer e Juventude (Smelj), Aluisio de Oliveira Dutra Júnior, representantes da Petrobras (patrocinadora) e da Gerar - organização da sociedade civil de interesse público (Oscip) responsável pela execução do programa -, além de pessoas da comunidade.

A parceria entre as várias entidades para a implantação do projeto Geração Campeã foi valorizada pelo prefeito Gustavo Fruet, principalmente por ser desenvolvido em uma região que precisa de maior inclusão social e que sofre com problemas estruturais. “É uma área que necessita de uma atenção muito especial. E a importância deste projeto está em permitir contraturno para crianças e jovens da comunidade que talvez não tivessem essa oportunidade de formação, qualificação e lazer. Queremos fortalecer essas parcerias.”, comentou Fruet. Na região foi instalada a primeira Unidade Paraná Seguro (UPP), no início do ano passado.

O secretario Aluisio Dutra Júnior também ressaltou a importância da implantação de um programa com as características do Geração Campeã na Vila Audi/União. “Essa é a grande função do governo: agir de maneira que promova equidade para a população da cidade. Temos uma parcela que não tem acesso a esse tipo de equipamento de esporte e lazer e é para eles que temos que voltar nossa administração preferencialmente”, disse. A Prefeitura pretende utilizar o Centro da Juventude com atividades desenvolvidas por diversas secretarias, além da Smelj, com apoio da Fundação Cultural, Fundação de Ação Social e Secretaria de Abastecimento. “Este espaço é destinado para a comunidade e quem vai transformá-lo em um local com atividades que interessam é a comunidade”, complementou. 

O prefeito Gustavo Fruet, o superintendente da Gerar, Francisco Essert e a representante da Petrobrás, Elisabeth Maia, foram presenteados com camisas do projeto assinadas pelos participantes. Ao final da solenidade, crianças e adolescentes cantaram a música O que é, o que é, de Gonzaguinha. 

Programa

O programa Geração campeã vai atender 120 crianças e adolescentes, entre 10 e 14 anos, que já foram selecionados a partir de divulgações do projeto realizadas em escolas da região. As aulas acontecerão três vezes por semana, sempre no contraturno escolar, com intervalo para lanche e refeição completa e vai contemplar estudantes da rede pública de ensino. O programa tem duração de 18 meses e foi o único programa do Estado a ser contemplado na edição de 2011 do Programa Petrobras Esporte e Cidadania, da Petrobrás. 

Semana Jovem

Paralelamente ao lançamento do Programa Geração Campeã, foram promovidas no Centro da Juventude Audi/União atividades relacionadas à Semana Jovem. Jogos de tabuleiro e locais para a prática do grafite ficaram disponíveis à comunidade local.
A Semana Jovem teve início dia 13 de abril e se estenderá até o próximo domingo (21), com diversas atrações educacionais, recreativas e culturais em vários pontos de Curitiba. 

Informações sobre a programação podem ser obtidas no endereçowww.curitiba.pr.gov.br/semanajovem
http://www.cidadedoconhecimento.org.br/cidadedoconhecimento/index.php?subcan=7&cod_not=40267&PHPSESSID=afa48efc74dafa7d800764c65e568faa

sábado, abril 20, 2013

Futebol, Santa Rita FC X Esmaga Sapo

 Equipe do Santa Rita FC.
 Equipe do Esmaga Sapo.
 Neste sábado 20 jogaram amistosamente as equipes do Santa Rita FC contra a equipe do Esmaga Sapo  Esporte Clube com inicio as 8h30 na casa do Santa Rita o jogo transcorreu num clima de amizade e respeito entre os atletas das duas equipes, e terminou com vitoria do Santa Rita por 12 a 1 .



Boa noite!


sexta-feira, abril 19, 2013

Beto Richa Garante a Ney Leprevost aprovação da Lei de Incentivo ao Esporte


O deputado Ney Leprevost, líder do PSD, esteve em reunião de trabalho com o governador Beto Richa esta semana.
Na oportunidade, Ney que é líder da Frente Estadual de Saúde e Cidadania, apresentou a Richa uma série de reinvidicações dos hospitas do Paraná e de entidades que trabalham com inclusão social.
Presidente da Comissão de Esportes e autor da Lei de Incentivo ao Esporte, Leprevost recebeu de Richa a garantia de que sua Lei será encaminhada dentro de, no máximo dez dias para aprovação da Assembléia Legislativa. 
“O governador Beto Richa tem consciência de que esporte é saúde e é também um instrumento formidável para manter nossas crianças e adolescentes dentro da escola, longe das drogas e do crime”, afirmou Ney.
A Lei de Incentivo ao Esporte do Paraná foi elaborada por Leprevost junto com os deputados Cesár Silvestre Filho, Remi Pereira e André Bueno e teve apoio das equipes da Secretaria Estadual da Fazenda e de Esportes.
“O Ney é um deputado muito dinâmico e de grande prestigio na região de Curitiba. Ele sempre traz exelentes ideias e queremos estreitar o relacionamento com ele e com o PSD cada vez mais”, disse Beto.


Ney Leprevost

Teia gigante de aranha chama a atenção no Centro de Curitiba



Uma enorme teia de aranha tem atraído a curiosidade de quem passa pela rua Comendador Macedo, entre a Conselheiro Laurindo e a Tibagi, no Centro de Curitiba. A “construção” é obra de uma colônia de aranhas da espécie Anelosimus eximius que vive em uma árvore da região, e que segundo especialista, não oferece risco à população.
“Essa espécie é conhecida por fazer balonismo. Elas produzem fios extremamente finos, se prendem a eles, e voam com o ar, se dispersando por vários lugares. Tanto que há registro dela entre o Panamá e a Argentina", explica Eduardo Ramires, biólogo especialista em aracnídeos.

Ramires ressalta também que, em função do tamanho dos animais, eles não têm como oferecer riscos à saúde de quem transita na via. “As aranhas, em áreas naturais, costumam fazer teias em cascata, que chegam até o chão. Aqui, quando tentam fazer isso, se assustam com as pessoas que passam na rua. E o mesmo acontece com quem vê as aranhas perto da calçada. Por isso acham que são perigosas. Mas não tem perigo, já que a mordida delas não conseguem penetrar a pele”.
No caso dessa árvore, deve ter chegado uma fêmea já fertilizada, que é responsável pela colônia. Os filhotes dela cresceram, se reproduziram, e desde então as aranhas estão no trabalho de produção dessa teia”, diz.
Ele destaca ainda que a comunidade precisa aproveitar esse fenômeno para se educar e tirar lições de como a natureza pode ajudar no dia-a-dia. “Ali as aranhas fizeram uma armadilha gigante, que funciona no controle de insetos. Sem fator de perturbação, elas podem ficam ali por muito tempo. O que trará, com certeza, benefícios a quem vive ao redor da teia”, completa.

quinta-feira, abril 18, 2013

Os vizinhos que adotaram Araci


Aos 75 anos, Araci Minaif se tornou uma mulher arredia. Pouco vai à rua ou recebe visitas. A catadora de materiais recicláveis despertou a comoção de um bairro inteiro de Curitiba quando foi retirada de casa à força e internada compulsoriamente em um asilo. O entendimento da Justiça foi que ela não tinha condições de cuidar de si mesma. Considerada uma “acumuladora compulsiva”, chegou a guardar 25 toneladas de lixo no terreno de sua moradia, numa esquina do Alto da XV.
O episódio da remoção forçada, ocorrido há um ano, foi o estopim para um mutirão entre os vizinhos de Araci. Enquanto pediam a volta da idosa para o lar, enchendo a frente da casa com cartazes e fazendo barulho em rádio, tevê e jornal, se organizaram para tornar habitável o lar de Araci – uma casa colonial de madeira dos anos 30, onde ela nasceu e passou toda a vida.
Daniel Castelano / Gazeta do Povo
Daniel Castelano / Gazeta do Povo / A casa chegou a ter 25 toneladas de lixo, mas o terreno foi limpo por um mutirãoAmpliar imagem
A casa chegou a ter 25 toneladas de lixo, mas o terreno foi limpo por um mutirão
Muitos animais para compensar perdas familiares
Araci Minaif acumulava não apenas lixo, mas também gatos e galos. Eram dezenas de bichos soltos pelo quintal e dentro de casa. Na confusão instaurada durante a remoção, a maioria dos animais fugiu. Hoje, a idosa segue cuidando de alguns deles. Os vizinhos chegaram a construir um viveiro nos fundos do terreno, mas Araci não concorda em mantê-los presos.
Ela passou a dispor da companhia de animais há uma década, quando perdeu em sequência a mãe, o irmão e um emprego de doméstica. Começou a trabalhar com reciclagem, usando o quintal de casa como depósito. Solitária, despertou a suspeita de ter desenvolvido problemas mentais. Os vizinhos próximos sempre garantiram que ela mantinha a lucidez.
A “acumulação compulsória”, conhecida como Síndrome de Diógenes, ocorre quando a pessoa é incapaz de jogar qualquer coisa fora, e sempre está disposta a recolher lixo na rua e levar para casa. É uma das novas doenças descritas pela nova edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, publicado neste ano após mais de uma década de debates. Seu diagnóstico é polêmico e controverso entre especialistas da área. No caso de Araci, o terreno passou a ser usado por outras pessoas para desovar tranqueiras. Após a limpeza, ela não voltou a acumular objetos. (OT)
Como parte do acordo para que Araci voltasse para casa, o juiz determinou que a idosa fosse acompanhada por uma cuidadora em tempo integral. Também foram designadas duas curadoras – primas-irmãs de Araci – para administrar a casa, contratar as profissionais e gerir a aposentadoria da idosa.
Os moradores reconheciam que o comportamento da moradora e as condições da construção haviam se tornado um problema de higiene e segurança para o bairro. Porém, não viam na saída forçada dela uma solução. “O pessoal gosta dela. É boa de papo”, lembra o engenheiro mecânico Elcio Modro, um dos articuladores da ação.
Nova vida
O terreno foi limpo, ganhou portão e grades no muro. A casa teve as paredes de madeira consertadas e pintadas. O banheiro, que estava inutilizável, foi recuperado. Vários móveis foram doados, assim como um fogão elétrico. Araci tinha apenas o de lenha, que permanece em pé até hoje, ao lado da “novidade”. “O terreno havia se tornado esconderijo de marginais, além de banheiro público”, lembra Elcio, que ainda bate no portão ao menos uma vez ao dia para ver como está a vizinha.
De volta à casa, a idosa, inicialmente, se recusou a receber a Gazeta do Povo. Mas com a mediação de um vizinho conhecido, abriu as portas para a reportagem. São receios acumulados a partir da remoção e da internação forçadas. A mulher, antes expansiva, tornou-se sorumbática. Após ser tema de diversas reportagens, reclama não ter sido ajudada por aqueles que a procuraram. Entretanto mantém contato direto com os parentes e com os vizinhos, que seguem doando alimentos. Ela reclama não ter mais a renda extra proporcionada pela reciclagem.
Araci quer ficar em casa. Os vizinhos também querem.

quarta-feira, abril 17, 2013

Adão e Eva


Quando Deus criou Adão e Eva, disse aos dois:
- Tenho dois presentes para distribuir entre vocês: Um é para fazer xixi em pé e…
Adão, ansiosíssimo, interrompeu, gritando:
- Eu! Eu! Eu! Eu! Eu quero, por favor… Senhor, por favor, por favor. Sim?
- Facilitaria-Me a vida substancialmente!
- Por favor! Por favor! Por favor!
Eva concordou e disse que essas coisas não tinham importância para ela.
Então, Deus presenteou Adão.
Adão ficou maravilhado. Gritava de alegria, corria pelo jardim do Éden fazendo xixi em todas as árvores.
Correu pela praia fazendo desenhos com seu xixi na areia.
Brincava de chafariz. Acendia uma fogueirinha e brincava de bombeiro…
Deus e Eva contemplavam o homem louco de felicidade, até que Eva perguntou a Deus:
- E… Qual é o outro presente?
Deus respondeu:
Cérebro, Eva … O cérebro é seu!


Thomas, o gatão

terça-feira, abril 16, 2013

Ex-prefeito Ducci é condenado a devolver R$ 706 mil para o município



O ex-prefeito de Curitiba Luciano Ducci (PSB) foi con­­­denado, em primeira ins­­tância, a devolver aproximadamente R$ 706 mil aos cofres da prefeitura. A decisão é do juiz Marcos Vinícius da Rocha Loures Demchuk, da 5.ª Vara da Fazenda Pública, Falências e Recuperação Judicial de Curitiba. Segundo a condenação, Ducci utilizou inserções na televisão aberta para autopromoção, o que levou ao entendimento de que não se tratava de propaganda institucional da prefeitura. Cabe recurso da decisão.
De acordo com a Justiça, quatro peças publicitárias foram veiculadas na televisão aberta em março de 2012 – período pré-eleitoral – com os temas creches, pavimentação, asfalto e orgulho de ser curitibano. O juiz Demchuk entendeu que as inserções “nada tem de educativo, nada de orientação social, mas, [...] é tão-somente promoção pessoal”, conforme a sentença.
Outro lado
Em nota, Luciano Ducci diz que vai recorrer de condenação
Em nota oficial encaminhada por sua assessoria, Ducci informou ontem que ainda não foi notificado da decisão, mas que irá recorrer, “principalmente porque o parecer do Ministério Público foi pela improcedência desta ação”.
O ex-prefeito disse que a condenação lhe causou estranheza, uma vez que todas as propagandas institucionais feitas por ele, e também os limites orçamentários legais usados, estão de acordo com a Constituição Federal.
“E ainda se trata de propaganda que não tem seu nome, nem sua imagem, tampouco menciona as eleições ou seu partido. O material trata apenas de tradicional campanha comemorativa do aniversário da cidade”, explicou a assessoria do ex-prefeito.
A ação foi proposta por Roseli Isidoro, que, à época, era presidente do diretório do PT de Curitiba e atualmente é secretária municipal dos Direitos da Mulher. A petista pedia que o ex-prefeito devolvesse R$ 2.376.590,55, que seria o valor das campanhas publicitárias. O juiz, porém, afirmou que a Secretaria da Comunicação Social informou que o custo foi de R$ 706.000,50, e determinou a devolução desse valor.
Na decisão, o juiz afirmou também que o “administrador se beneficiou diretamente da propaganda dita institucional, mas indevida diante do arrepio aos princípios da moralidade e impessoalidade”.
“[As peças publicitárias] nada têm de educativo, nada de orientação social, mas, em conjunto com elementos anteriormente expostos, são tão somente promoção pessoal”, escreveu Demchuk na decisão, da última quinta-feira.
A assessoria de imprensa de Roseli Isidoro afirmou que a ação foi proposta pela petista no papel de presidente do diretório municipal do PT e que ela não irá se pronunciar, pois não ocupa o cargo atualmente. O vereador Jonny Stica, atual presidente do PT de Curitiba, não foi localizado pela reportagem.