sexta-feira, maio 31, 2013

Zé Ramalho enfileira hits no Master Hall


Zé Ramalho interrompeu um hiato de cinco anos sem lançar canções inéditas no ano passado, com o disco Sinais dos Tempos. Mas são velhos sucessos como “Admirável Gado Novo”, “Garoto de Aluguel”, “Chão de Giz”, “Avôhai”, “Trem das 7”, “Mistérios da Meia-noite” e “Entre a Serpente e a Estrela” que o trazem de volta a Curitiba após dois anos nesta sexta-feira, às 23h30, no Curitiba Master Hall.
Após se recuperar de uma cirurgia no coração em março, o artista paraibano radicado desde os anos 1970 no Rio de Janeiro voltou aos palcos em maio, prometendo uma turnê “só de sucessos”. Além da capital paranaense, o cantor passou pelo Distrito Federal e pelo Rio Grande do Sul e ainda toca em Santa Catarina antes de iniciar suas tradicionais apresentações no circuito junino do Nordeste.
Setlist
Sucessos da carreira do músico são o foco do show. Veja alguns deles:
“Admirável Gado Novo”
“Garoto de Aluguel”
“Chão de Giz”
“Avôhai”
“Trem das 7”
“Mistérios da Meia-noite”
“Entre a Serpente e a Estrela”
Shows
Confira as informações deste e de outros shows no Guia da Gazeta do Povo.
Show
O cantor se apresenta acompanhado pela Banda Z, formada por Chico Guedes (contrabaixo), Edu Constant (bateria), Dodô de Moraes (teclados), Toti Cavalcanti (sopros) e Zé Gomes (percussão). É o mesmo grupo que o acompanhou nas gravações de Sinais dos Tempos – disco que marcou o desjejum de canções inéditas reafirmando o estilo único do compositor paraibano, marcado pelo tom místico e profético de suas canções e embalado pela fusão de gêneros nordestinos com o rock de bandas como o Pink Floyd.
Boa fase
Durante o hiato, Zé Ra­­ma­­lho gravou homenagens a Bob Dylan, Beatles, Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro. Aos 63 anos, com 20 discos lançados e hoje à frente de seu próprio selo, o Avôhai Music, Zé Ramalho continua renovando o público de seus shows, que atraem de jovens a antigos fãs. Uma amostra representativa foi sua apresentação no festival SWU, em novembro de 2011, e o convite para participar do Rock in Rio ao lado do Sepultura, no próximo dia 22 de setembro.
O Curitiba Master Hall abre as portas às 21h30. Mais informações na página ao lado.

http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?tl=1&id=1377524&tit=Ze-Ramalho-enfileira-hits-no-Master-Hall

quarta-feira, maio 29, 2013

Cidades paranaenses participam do Dia do Desafio nesta quarta-feira

Curitiba é uma das 348 cidades paranaenses que vão participar, na quarta-feira (29), do Dia do Desafio. O evento é uma iniciativa mundial, que tem como objetivo incentivar a prática de atividades físicas por parte da população.
Todos os anos, as cidades disputam com outras o título de local com mais praticantes de atividades físicas. Neste ano, a capital paranaense está concorrendo contra Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, na competição nacional e com Doha, no Catar, no âmbito internacional.
Para participar, os moradores podem praticar qualquer atividade física, a partir da meia-noite, seja individualmente ou em grupo. Após a atividade, cada participante precisa registrar a prática no site do Sesc, que organiza o Dia do Desafio. Na mesma página, também é possível conferir a lista de cidades participantes. Outra opção para fazer o registro é pelo telefone 0800-643-6690.
Com a intenção de ajudar Curitiba a vencer o desafio, o Sesc vai promover uma série de atividades em vários pontos da cidade e nas unidades. Na Rua XV de Novembro, por exemplo, uma estrutura será montada com várias opções para as pessoas participarem, que incluirá até uma parede de escalada.

domingo, maio 26, 2013

A vila que venceu a favela



Aniele Nascimento/ Gazeta do Povo / Aloíze Gogola mostra praça de esportes na Vila São Pedro: moradores se organizam para melhorar a comunidade
Geada Negra de 1975 fez a Vila São Pedro, no Xaxim, receber levas de migrantes do Norte do estado. Tinha de tudo para passar por um processo de favelização. Mas isso não ocorreu em grande medida devido ao trabalho de Aloíze Gogola

A história da Vila São Pedro não tem apenas um protagonista. Pode-se dizer que a coletividade prevaleceu sobre a mais que provável favelização de uma das comunidades encravadas no bairro do Xaxim, que explodiu demograficamente com a Geada Negra de 1975. O inverno rigoroso destruiu boa parte das plantações do Norte do Paraná, o que trouxe milhares de imigrantes para a capital. “Os caminhões de mudança faziam fila”, lembra Aloíze Gogola, ex-padre que chegou à região em 1973 e um dos líderes da comunidade. “As pessoas se instalavam como podiam aqui, mas não havia escola, água potável, asfalto, nada”.
Economia solidária
Escambo de produtos e serviços ajudou a comunidade
A circulação de bens na comunidade da Vila São Pedro também ajudou muitas famílias a se manterem economicamente. O líder comunitário Aloíze Gogola lembra que um mercado de troca, com moeda própria – o Pinhão –, foi instalado para permutar serviços dentro da vila. “Um morador fazia pão. Outro tinha leite. Outro costurava. Fazia-se um escambo dessas coisas em um mercado informal. Às vezes dava diferença no valor entre um serviço e outro, e isso era compensado com o Pinhão, que era usado como moeda de troca”, diz ele.
A iniciativa não sobreviveu à melhoria da situação dos moradores, mas serviu como impulso para a vila que desabrochava economicamente no começo do século 21. O comércio na rua agora fica por conta de uma modesta feira agrícola de poucas barracas que se instala na vila às sextas-feiras. Ainda que pequena, dá conta da demanda dos moradores.
A união faz a força
O líder comunitário Aloíze Gogola e a comunidade da Vila São Pedro conseguiram suas conquistas agindo coletivamente. Veja alguns pontos importantes para seguir os passos dos moradores:
Recepcione: boas-vindas aos novos moradores mostram uma comunidade receptiva e também unida. Isso é essencial para conhecer as principais questões de cada um.
Analise os problemas: a união entre os moradores ocorre por problemas em comum. Identificá-los, por meio de conversas constantes com a população, é o primeiro passo para resolvê-los.
Divida os grupos: cada um tem sua habilidade e seu círculo de influência. Saber onde cada um pode ajudar torna a solução dos problemas mais rápida.
Coopere: promover feiras, eventos e outras atividades para unir os moradores impulsiona a economia local e aumenta a proximidade entre os vizinhos de bairro.
A paróquia começou, então, por meio de Comunidades Eclesiais de Base, a ajudar os moradores que queriam se articular para reivindicar melhorias para o bairro. “Formamos grupos para nos preocupar com frentes específicas, como ônibus, posto de saúde, etc. E tínhamos um Grupo de Recepção dos novos moradores”, diz Gogola. A gentileza e cortesia com os vizinhos, prática comum no campo, rareava na cidade, e quem chegava pela necessidade se sentia amparado e, ao mesmo tempo, impelido a ajudar. “O grupo falava: ‘Estamos aqui lutando por essas coisas, quer participar com a gente?’ E assim foi crescendo uma organização no bairro.”
Simples assim. Gogola, que é secretário da associação de moradores e membro dos conselhos de Saúde e de Segurança do Xaxim, explica que os moradores se reuniam onde podiam para elencar os principais problemas da comunidade, e definir as prioridades. A água era uma delas. Com o encanamento apenas do outro lado da rodovia separa o bairro do vizinho Capão Raso, todo mundo usava água de poço, mas diziam que estava contaminada. “Aí alguém contava que trabalhava na Sanepar, e que poderia fazer a empresa realizar os testes. Comprovado que água estava mesmo contaminada, aí formávamos grupos para fazer pressão nas empresas, na prefeitura, até conseguirmos”, lembra.
Trincheiras
É claro que nem todas as lutas foram vitoriosas – o que não quer dizer que o poder constituído não foi incomodado. As trincheiras e viadutos da Linha Verde, implantadas na Rodovia Régis Bittencourt, foram demandas repetidas vezes para não isolar a vila de um dos lados da BR-116.
“Os políticos acham que isso aqui ainda é roça, não imaginam que a gente precisa andar nove quadras para conseguir atravessar para o lado de lá da pista. Não conseguiram fazer a trincheira porque canalizaram a água logo abaixo da pista, mas também não fizeram viaduto nenhum”, reclama Gogola.
O consolo foi o pioneirismo da Vila São Pedro em outra reclamação frequente dos curitibanos com o projeto de integração urbana: “O cidadão tinha que pagar duas passagens se quisesse mudar de ônibus. A gente reclamou, reclamou, e conseguiu que a primeira experiência de integração fosse aqui, simultaneamente com o bairro do Santa Quitéria”, diz o líder comunitário sobre a implantação da integração temporal por cartão-transporte, iniciada em 2010.
Nova luta
Para Aloíze Gogola e os moradores da Vila São Pedro, a luta continua agora por uma articulação mais direta da população com a Guarda Municipal. O objetivo é mais segurança. “O mais importante é ter claro o que se quer e unir os moradores para resolver um problema em comum. Quando a coisa não incomoda, ninguém se mexe”, diz Gogola. Os moradores se reúnem, reivindicam, e o apoio pode não vir, mas é sempre buscado. “O certo é usar o político e não o político usar a população.”

sábado, maio 25, 2013

Hoje é dia de macarronada na Rua XV

Antônio More / Gazeta do Povo / Chef Ricardo Filizola comandará o evento deste sábado
Uma tonelada de macarrão. É o montante que a organização da Macarronada do Chef pretende vender a partir das 11 horas deste sábado (25) na Boca Maldita, em Curitiba. O evento abre a Settimana della Gastronomia Italiana (Semana da Gastronomia Italiana) e faz parte de um projeto multicultural, o Mia Cara Curitiba, que têm também atrações musicais, de teatro e cinema e vai até o dia 9 de junho.
O prato com macarrão penne vai custar R$ 10 e será servido ao estilo tradicional da Calábria, com molho de especiarias e calabresa. O chef Ricardo Filizola, do La Cocina Cozinha Personalizada, é quem vai executar a receita com o auxílio de alunos do Espaço Gourmet Escola de Gastronomia.

A macarronada será servida até as 14h30 ou até acabar a quantidade de massa preparada para o evento. O ponto exato do serviço será em frente ao Palácio Avenida, na Rua XV de Novembro.
Haverá ainda taças de vinho italiano (R$ 8), além de água e refrigerantes vendidos por R$ 3, cada. “Estamos preparados para atender cerca de quatro mil pessoas”, diz o organizador do evento, Philip Khouri, da empresa DP9.
A venda dos pratos e bebidas será feita por meio de fichas. No total serão três barracas: uma para a compra das fichas, com quatro atendentes; outra para servir a macarronada, com 12 metros de comprimento; e uma terceira, com oito metros, para as bebidas. No calçadão central ainda terá cerca de 50 lugares em mesas para as pessoas degustarem o prato.
Pouco após a Macar­­ro­­nada, às 16 horas, haverá show gratuito com a cantora Zizi Possi na Boca Maldita, outra ação do Mia Cara Curitiba.
Menu italiano em 20 restaurantes
Marina Fabri
Também neste sábado, começa a terceira edição da Settimana Della Gastronomia Italiana, evento gastronômico em que 20 restaurantes de Curitiba (contando duas unidades do La Pasta Gialla e duas da Mercearia Bresser) oferecerão menus a preços fixos até o dia 9 de junho.
A novidade deste ano ficou por conta da divisão dos restaurantes por tipo de menu ofertado. São três linhas: pizzarias, cardápios especiais e tratorias.
As pizzarias vão oferecer uma opção de pizza grande (oito pedaços), com um ou dois sabores, por R$ 45. Os estabelecimentos que optaram pelos menus especiais terão um prato individual e uma sobremesa por R$ 42 e as tratorias servirão pratos para duas pessoas por R$ 75.
Para o organizador da Settimana, Philip Khouri, o retorno de quem é fã da boa mesa – especialmente da italiana – vem sendo cada vez maior desde o primeiro ano do evento. “Isso se reflete também nos restaurantes. Muitos estão querendo participar. Como este ano é o primeiro neste novo formato, optamos por manter o mesmo número do ano passado. A exigência é que os pratos façam homenagem à Itália”, explica.
http://www.gazetadopovo.com.br/bomgourmet/conteudo.phtml?tl=1&id=1375932&tit=Hoje-e-dia-de-macarronada-na-Rua-XV

sexta-feira, maio 24, 2013

Velozes & Furiosos 6 é destaque no Paraná


Em Velozes & Furiosos 6, Dom e Brian faturaram 100 milhões de dólares com o golpe no Rio de Janeiro e agora o grupo está espalhado pelo mundo. Eles têm uma chance de voltar para casa com os nomes limpos, se capturarem uma organização de mercenários. No elenco estão Vin Diesel, Paul Walker, Dwayne Johnson, Michelle Rodriguez e outros.
http://guia.gazetadopovo.com.br/mat/velozes-furiosos-6-estreia-nesta-sexta-feira/1375295/

quinta-feira, maio 23, 2013

Terminal de ônibus ganha fraldário


principalprincipalprincipal
O terminal Campina do Siqueira passou a contar, a partir desta quarta-feira (22), com um fraldário para oferecer maior conforto a quem passa pelo local com bebês. O equipamento, instalado no sanitário para pessoa com deficiência, faz parte de um projeto piloto para avaliar a viabilidade de instalação de equipamentos semelhantes nos 21 terminais urbanos e no Terminal Guadalupe, que é metropolitano e administrado pela Urbs.
A instalação de fraldários nos terminais atende a um pedido feito por mães a Mirian Gonçalves, prefeita em exercício de Curitiba. Ela ouviu das mães a dificuldade que tinham ao se deslocar de ônibus com bebês pequenos e precisarem trocar a fralda das crianças. A medida também faz parte da política de melhoria no atendimento aos passageiros da Rede Integrada de Transporte. Mirian participou da instalação do primeiro fraldário, acompanhada da diretora de Urbanização da Urbs, Denise Sella, e da secretária da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdocimo.
O equipamento é parecido com os que existem em aeroportos; quando não é utilizado, fica fechado junto à parede, ocupando menos espaço. Em plástico, com bordas de segurança para o bebê, ele suporta até 20 quilos. A decisão de instalar no sanitário para pessoa com deficiência contou com aprovação da secretária Mirella Prosdocimo. Como este sanitário é mais espaçoso, quem estiver com criança terá mais tranquilidade para a troca de fraldas.
Iolanda de Fátima dos Santos, que é usuária do terminal, conta que numa reunião na casa de uma amiga, na CIC, no ano passado, narrava sua experiência de trocar uma neta em degraus de escadas ou bancos de praças. “A Mirian estava nesta reunião e aproveitamos para apresentar nosso pedido”, disse Iolanda, que também estava no terminal na tarde desta quarta-feira.
Mirian Gonçalves confirmou a história e destacou a importância da participação da comunidade. “Elas apresentaram uma sugestão a partir de uma necessidade e agora muitas pessoas serão beneficiadas”, disse. “Imagine a dificuldade de trocar uma criança no relento. A Urbs vai levar esse projeto à frente e a ideia é termos fraldário em todos os terminais. Tenho certeza de que as pessoas que vão usar este equipamento vão nos ajudar a cuidar”, afirmou a prefeita em exercício.
Pouco tempo depois de instalado, o fraldário mostrou utilidade. Simone Teodoro dos Santos aproveitou para trocar o filho João Pedro, de 1 ano e 2 meses de idade. “É muito mais fácil do que ter de trocar no colo. Fica tudo desajeitado e é muito ruim para o bebê”, afirmou.
“É algo a princípio pequeno, mas que pode ajudar muitas pessoas, torna a vida mais fácil. E aqui neste espaço pode ser usado tanto por uma mãe quanto por um pai que estiver com bebê”, disse a secretária Mirella Prosdócimo.
Pelos terminais de transporte de Curitiba passam por dia em torno de um milhão de pessoas. No Terminal Campina do Siqueira, onde o projeto do fraldário está sendo iniciado, embarcam ou desembarcam, por dia, em torno de 48,8 mil passageiros que utilizam ônibus de onze linhas.

quarta-feira, maio 22, 2013

Um conto bem brasileiro para vocês

Era uma vez um prédio de 4 andares que foi totalmente destruído pelo fogo; um incêndio terrível. 

Todas as pessoas das 10 famílias de Sem-teto, que haviam invadido o 1º andar, filhos de presidiários que ganham salário de R$ 850,00, faleceram no incêndio. 

No 2º andar, todos os componentes das 12 famílias de retirantes, que viviam dos proventos da "Bolsa Família", também não escaparam.

O 3º andar era ocupado por 4 famílias de ex-guerrilheiros, todos beneficiários de ações bem sucedidas contra o Governo, filiados a um ParTido político influente, com altos cargos em estatais e empresas governamentais, que também faleceram.

No 4º andar viviam engenheiros,médicos, advogados, professores, empresários, bancários, vendedores, comerciantes, policiais, e trabalhadores com suas famílias. Todos escaparam.

Imediatamente a "Presidenta da Nação" indignada e toda a sua assessoria mandou instalar um inquérito para que o "Chefe do Corpo de Bombeiros" explicasse a morte dos "queridos companheiros" e por que somente os moradores, do 4º andar haviam escapado.
O Chefe dos Bombeiros prontamente respondeu:

- "Eles não estavam em casa. Tinham saído para TRABALHAR"!!!!!

Alan Cordeiro

Escola adota Saladômetro para estimular alimentação saudável

.....
Comer verduras e legumes tem sido uma diversão para os estudantes da Escola Municipal João Cruciane, no Portão. O grupo é o primeiro a participar do Saladômetro, projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal da Educação para aumentar o consumo de vegetais nas escolas e unidades de educação integral.

Pontuando em um gráfico o consumo de cada aluno durante as refeições, as crianças têm aprendido brincando a importância de fazer escolhas saudáveis durante a alimentação.

O Saladômetro é uma atividade desenvolvida pelas nutricionistas da gerência de alimentação escolar da Secretaria Municipal da Educação para dar à merenda uma função educativa, além da nutricional. O projeto usa um painel para sinalizar quando os estudantes comem a salada e os vegetais servidos durante as refeições na escola. O consumo individual é assinalado com uma figurinha, representativa do vegetal, que a professora entrega para o aluno colar em seu espaço do painel, após o consumo.

As figurinhas são coladas umas sobre as outras. Ao final do bimestre, o estudante que tiver o maior número de figurinhas coladas no gráfico terá sido o que melhor se alimentou. A competição, explica a nutricionista Liziane Rodrigues é uma forma de motivar e melhorar as escolhas alimentares dos alunos, favorecendo a alimentação saudável.

“As crianças participam da competição de uma forma divertida, ao mesmo tempo que aprendem a importância das frutas e verduras na alimentação”, diz Liziane. Outro objetivo do projeto, segundo Liziane, é reduzir o desperdício de alimentos altamente nutritivos durante os almoços escolares.

Além de assegurar melhor qualidade de vida, por meio da alimentação saudável, os participantes concorrem a prêmios. Os troféus do projeto Saladômetro seguem a linha criativa da disputa: abacaxi para vencedor, abobrinha para o segundo colocado e troféu pepino para o estudante que menos tiver comido os vegetais.

Os alimentos serão acompanhados de livros de receitas saudáveis e fáceis de serem preparadas. A intenção é estimular as famílias a preparar uma alimentação mais nutritiva. A Escola João Cruciane foi escolhida como a primeira a receber o projeto, que a partir do segundo semestre deverá ser estendido às 40 unidades de educação integral na Rede Municipal de Ensino, mobilizando aproximadamente 6 mil estudantes.

Para a coordenadora da escola eleita para iniciar o projeto piloto, Cristina Aparecida de Paula, o Saladômetro, além de incentivar hábitos saudáveis entre os alunos, agradou também aos profissionais da escola. “Muitos aderiram às atividades e alguns até sugerem pratos e atividades”, diz Cristina.

Até o momento, o estudante Patricky Lohan Vieira, de 8 anos, é o primeiro classificado no Saladômetro. “Gostei da ideia de aprender a comer direito e saber a importância que as saladas têm para crescer forte e saudável”, disse Patricky.

O desempenho dele tem sido acompanhado pela família, em especial pela avó do garoto, Cleonice Gobbi, que trabalha como atendente de cozinha na escola. “Patricky só comia arroz e feijão. Agora está empolgado com as variedades de saladas. Ele não quer faltar nenhum dia para não perder no Saladômetro”. Conta Cleonice.

Raphael de Moura Rodrigues, de 7 anos, disse que também entendeu a importância da alimentação saudável. “Precisamos nos alimentar direito pra fortalecer os ossos, ter boa saúde e não ficar doente”, disse Raphael.
http://www.cidadedoconhecimento.org.br/cidadedoconhecimento/index.php?subcan=7&cod_not=40416&PHPSESSID=8ea0e375a087696cb7fe44336f1f2a4e

terça-feira, maio 21, 2013

Viva Los Hermanos...


Brasil X Argentina, a penúltima.
 
Dois fazendeiros, um brasileiro e um argentino, se encontram, começam a conversar.  O ARGENTINO PERGUNTA AO BRASILEIRO:
- Qual o tamanho da sua fazenda?
Brasileiro:
- Para os padrões do Brasil é uma fazenda de um bom tamanho, são 300 alqueires. E a sua?
Argentino:
- Olha, eu saio da sede de minha fazenda pela manhã com meu jipe e na hora do almoço não cheguei na metade dela...
Brasileiro:
- É, eu também já tive um jipe argentino, é uma merda mesmo.
Thomas, o gatão

segunda-feira, maio 20, 2013

Projeto quer fazer do São Francisco espaço cultural


Arquivo/ Gazeta do Povo /
A região do entorno da Rua Trajano Reis – conhecida como Baixo São Francisco – está prestes a passar por um processo para desenvolver e consolidar sua vocação cultural. Um grupo formado por artistas, empresários, moradores e frequentadores da área apresentou uma proposta de tornar o local um setor especial de produção cultural. Com isso, o espaço passaria por uma espécie de revitalização, acompanhada de uma série de políticas públicas. Seriam estabelecidas ainda normas específicas para a ocupação das ruas e funcionamento do comércio.
“Nós defendemos medidas públicas que harmonizem a função cultural do espaço, sem excluir a sua função residencial. Se a vida noturna ali acabar, a região vai ficar entregue à marginalidade”, diz o poeta Rodolfo Jaruga, representante da comissão do Baixo São Francisco.

Em discussão entre Executivo, Legislativo e comunidade, o projeto prevê facilidades na emissão de alvarás a estabelecimentos que fomentem a cultura. Aspectos de infraestrutura também devem ser privilegiados, como alargamento das calçadas, revitalização de fachadas, melhorias na iluminação pública e ampliação do policiamento.Os autores da iniciativa apontam que o Baixo São Francisco, historicamente notabilizado por sua efervescência cultural, passou a receber um fluxo cada vez maior de frequentadores. Em contrapartida, o poder público não teria correspondido ao movimento, se ausentando do processo. O texto menciona uma série de bares, restaurantes, discotecas e galerias que gera uma “concentração espontânea”, responsável por boa parte da produção cultural com DNA curitibano.
Paralelamente, o município deve fortalecer e estimular de forma contínua a produção artístico-cultural da região. A Fundação Cultural de Curitiba (FCC) já estuda a criação de uma feira de artes, em que bandas, artistas plásticos e poetas possam mostrar e promover seus trabalhos. “A região tem um valor cultural muito grande e o poder público está compreendendo isso. Queremos construir essas mudanças socialmente, identificando todas as demandas e conversando com a população que mora ali”, afirma o superintendente da FCC, Igor Cordeiro.
Prazos
Região pode se tornar primeiro setor especial de cultura
Se as propostas saírem do papel, o Baixo São Francisco será o primeiro setor especial de produção cultural de Curitiba. O dispositivo está previsto no artigo 150 da lei orgânica do município. Para ser efetivada, a implantação pode ser incluída no plano diretor – que será revisto em julho – ou apresentada na Câmara como projeto de lei. “Ainda este ano teremos boas surpresas em relação a incentivos e manifestações culturais. As obras de infraestrutura ficarão para o ano que vem, porque precisam de previsão orçamentária”, adiantou o vereador Jonny Stica (PT), presidente da comissão que estuda o projeto.

sábado, maio 18, 2013

Mirian se torna a primeira mulher a governar Curitiba


Jaelson Lucas/SMCS / Mirian assina o termo de posse: primeira integrante do PT a assumir a prefeitura da capital
Curitiba tem novo prefeito pelos próximos dias. Ou melhor, prefeita. Gustavo Fruet (PDT) transmitiu seu cargo à vice Mirian Gonçalves (PT) na tarde de ontem. Com isso, ela se torna a primeira mulher a ocupar o principal cargo do Executivo municipal, além de ser o primeiro representante do PT no governo da cidade. “Estou muito emocionada de estar aqui fazendo história. Não encaro isso como uma vitória, mas como um ponto inicial de uma luta contra a desigualdade entre homens e mulheres nos cargos públicos”, disse ela, que ocupa a vaga até o dia 26, quando Fruet retorna de uma viagem ao Japão.
Mirian disse que terá muito trabalho nesta semana, mas que grandes anúncios não serão feitos. No entanto, segundo ela, será firmado um termo de cooperação com o Tribunal de Justiça do Paraná para a instalação de uma unidade do Sistema Nacional de Emprego na cidade. Além disso, na segunda-feira, acontece uma visita a um armazém da Companhia Nacional de Abastecimento como parte do processo de instalação de uma unidade do programa “Banco de Alimentos”.
Mirian Gonçalves é advogada trabalhista, mestre em Direito das Relações Sociais pela UFPR e especialista em Direitos Humanos pela Universidade de Huelva, na Espanha. Uma das fundadoras do PT no Paraná, ela também ocupa o cargo de secretária do Trabalho e Emprego de Curitiba.
Viagem
Gustavo Fruet embarcou, na noite de ontem, para uma viagem oficial ao Japão. Durante dez dias, ele e uma comitiva conhecerão projetos de urbanização adotados por três cidades: Tóquio, Yokohama e Himeji, cidade-irmã de Curitiba, onde o prefeito receberá o título de cidadão honorário. A viagem será paga pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica).

sexta-feira, maio 17, 2013

5 anos do Blog Olho Aberto Paraná


Aniversário do Blog olho aberto será comemorado com mega evento musical e rodeio com narração de Marco Brasil Filho.

Contará com uma grande programação dividida em dois dias de evento, a data será dias 18 e 19 de Maio

VIRMOND EM FESTA - 17,18 e 19 de maio 

O Município de Virmond estará em festa no mês de maio!!

Dia 17 Sexta-feira - Aniversário do Município
09:30 Santa Missa
11:00 Ato Cívico
12:30 Almoço popular (gratuito)
15:30 Tradicional bolo de aniversário do Município
20:00 Abertura da 3ª Festa do Peão de Boiadeiro de Virmond (RODEIO)
22:30 Show com Neylon & Geovane
23:00 Baile Show com a Banda Estrela D'Alva
04:00 Encerramento

No dia 17 a entrada é GRATUITA no Rodeio e nos shows!!!

ANIVERSÁRIO DO BLOG OLHO ABERTO PARANÁ 

Dia 18 - Sábado
20:30 Rodeio Country com Narração de Marco Brasil Filho 
23:30 Show com a Dupla Marcos e Claudio
01:00 Show com a Dupla Felipe e Falcão
03:00 Show com os DJ'S Paulo Felix e Danúbio Rocha
05:00 Encerramento

INGRESSOS ANTECIPADOS A R$ 16,00 E NO DIA R$21,00 

Dia 19 - Domingo

18:00 Final do Rodeio Country com Narração de Marco Brasil Filho 
22:00 Show com a Dupla Zenne & Fhael
23:30:00 Encerramento

INGRESSO PARA DOMINGO NO VALOR DE R$ 10,00

O Evento VIRMOND EM FESTA ainda contará com:

- Praça de alimentação
- Área para Camping
- Estacionamento
- Parque de diversões
- Segurança
- Policiamento
- Etc.....

quarta-feira, maio 15, 2013

Se beber não dirija‏



Caros amigos, gostaria de partilhar uma experiência com vocês acerca do "Se beber, não dirija"!
Como bem sabem, temos tido autênticas lavagens cerebrais diárias por parte das autoridades competentes acerca deste assunto, através de mensagens em outdoors ou de comerciais de televisão.
Pois bem, há algumas noites saí com uns amigos e fomos tomar umas e outras num barzinho muito agradável ali no Batel.
Depois de umas Vodkas, uns Camparis e uns Whiskies, fiquei com a sensação de que tinha ultrapassado o meu limite de resistência ao álcool e fiz uma coisa que nunca tinha feito antes: usei o ônibus pra voltar pra casa!
Pelo caminho reparei numa operação "lei seca" com a polícia identificando os motoristas e fazendo alguns testes do bafômetro mas, como eu ia de ônibus, fizeram sinal para seguir.
E foi assim que cheguei em casa são e salvo, sem nenhum acidente, o que constituiu uma autêntica surpresa para mim porque eu nunca tinha dirigido um ônibus antes, nem faço a mínima idéia onde é que o arrumei!!!

Thomas, o gatão

terça-feira, maio 14, 2013

Conselho do Ministério Público arquiva inquérito das tevês laranjas



O Conselho Superior do Ministério Público do Paraná arquivou o inquérito que investigava supostas irregularidades na compra de 22 mil televisores na cor laranja pela Secretaria de Estado da Educação em 2006, na gestão de Roberto Requião (PMDB). O Conselho entendeu que todo o processo de licitação foi conduzido em conformidade com a legislação. O MP já havia arquivado o caso, o Conselho apenas ratificou a decisão.
Os televisores foram comprados pelo valor total de R$ 18,9 milhões pelo então secretário de Educação, Maurício Requião. A fornecedora dos aparelhos foi a empresa Móveis Cequipel, maior doadora da campanha do ex- governador. O governo do estado pagou R$ 860 por cada um dos 22 mil aparelhos.
A bancada de oposição na Assembleia Legislativa, na época, levantou suspeita de superfaturamento na aquisição das tevês. O então líder da oposição, deputado Valdir Rossoni (PSDB), chegou a comprar um televisor pela internet com as mesmas características por R$ 739 – o que “comprovaria”, segundo o tucano, o superfaturamento.
Os promotores, no entanto, descartaram qualquer irregularidade em todo o processo de compra das tevês. Na decisão, de abril deste ano, o conselheiro relator Arion Rolim Pereira relata que foram investigadas contas bancárias e ouvidas dezenas de pessoas, mas nenhuma ilicitude foi detectada. “Todas as supostas desconformidades foram analisadas e resultaram inexistentes”, diz um trecho da decisão. O processo de licitação também foi considerado legal.
O então secretário de Educação da época, Maurício Requião, foi procurado para comentar a decisão do Conselho, mas afirmou que não queria se manifestar. Valdir Rossoni, atual presidente da Assembleia Legislativa, não foi localizado para falar sobre o caso denunciado por ele.

segunda-feira, maio 13, 2013

Tetra reforça soberania do Coritiba


Os Estaduais podem até estar meio em baixa, mas um tetra não pode ser menosprezado. Se a sequência de títulos tiver sido construída sobre vice-campeonatos do arquirrival, então, ganha destaque eterno na galeria de qualquer clube. Com a volta de um grande ídolo, autor de 15 gols no campeonato, dois deles que abriram as portas para a vitória decisiva após um grande susto, vira um épico.
O Coritiba havia conquistado o tetra paranaense apenas uma vez, nos anos de 1971/72/73/74, em uma fileira que se estenderia até o hexa. No estado, apenas o extinto Britânia (1918/19/20/21) e o Paraná (1993/94/95/96) também conseguiram o feito. Em nenhuma das ocasiões o vice foi o mesmo.
O jogo
O Atlético começou o jogo marcando bem e contou com a falha de Vanderlei para abrir o placar com Hernani. Mas, conduzido pelo talento de Alex, que marcou dois gols, o Coritiba melhorou em campo, acertou duas bolas na trave e fechou a vitória com Geraldo.
Curitiba

  • Maior revelação do clube nos últimos tempos, Alex só nasceria três anos após o tetra de 1974. E iniciou a trajetória pelo Coxa nos anos 90, tempo de vacas magras, quando a torcida não tinha nem Estaduais para comemorar. Ele também não. Foi embora e construiu sua impecável carreira fora do clube de coração. Até o retorno no início deste ano, com 35 anos, para enfim conquistar seu primeiro título pelo Alviverde. Como o grande protagonista.
Do outro lado, o mesmo adversário superado pelos companheiros Rafinha, Vanderlei, Willian, Pereira e Geraldo – os cinco tetracampeões legítimos – nos Paranaenses anteriores. E que só estava ali desta vez graças à superação de um time de meninos, o chamado sub-23. O que era desprezo do Atlético pela competição se transformou aos poucos na maior valorização possível. Para os garotos, o campeonato da vida. E o sonho pareceu muito real na primeira meia-hora da decisão de ontem. Até Alex mexer na história.
Coritiba dominante
Com vitória de virada sobre o time sub-23 do Atlético, Alviverde emenda quatro títulos consecutivos pela segunda vez e reforça hegemonia no Estadual
Fernando Rudnick
O palco da festa foi preparado na véspera do Atletiba de ontem, atrás do gol onde fica a torcida visitante no Couto Pereira. Nos últimos quatro anos, porém, não precisaria nem ter sido desmontado. A celebração sempre teve as mesmas cores.
O triunfo por 3 a 1 sobre o Atlético, de virada, aumentou para quatro o número de títulos paranaenses consecutivos do Coritiba. Comandado por Alex (leia mais na página 4) e repleto de personagens marcantes, o Coxa comemorou o tetra após 39 anos. Vitória de um time que soube superar as dificuldades do campeonato – e da própria partida – diante de um jovem e valente adversário.
“A equipe que leva um gol no começo sofre com uma certa insegurança. Mas equilibramos isso emocionalmente e alcançamos os gols e a virada”, sintetizou o treinador Marquinhos Santos, 34 anos, mais jovem treinador na história a conquistar o Paranaense.
O ponto de turbulência foi o gol de Hernani (5/1º), em um erro gritante do goleiro Vanderlei. O chute de fora da área foi espalmado mansamente para dentro da meta. O resultado parcial dava a taça ao rival, que venceu o returno em uma arrancada surpreendente do sub-23 atleticano.
Campeão da primeira parte da competição, o Coxa não jogava bem até o capitão Alex empatar aos 29 minutos. A virada, aos 40, praticamente decretou a conquista. A torcida, que até o gol da igualdade demonstrava impaciência, não parou de apoiar após ver o ídolo marcar. O título foi para as arquibancadas. Com dedicatória e tudo mais.
“Dedico o título a mim, porque dedicando a mim fica também para toda a torcida coxa-branca”, falou o camisa 10.
Quando o angolano Geraldo entrou em campo no segundo tempo, no lugar de Robinho, o Alto da Glória foi à loucura. Amuleto do time, o atacante, que havia sido fundamental na decisão de 2010 e ressurgiu garantindo o empate na primeira partida da decisão, na Vila Olímpica, foi à rede novamente e iniciou a festa.
“Falei para ele que no momento certo o colocaria para que pudesse ser o talismã”, revelou o comandante.
Mesmo sem marcar, o argentino Escudero foi tão personagem quanto o africano. O zagueiro, que se envolveu em polêmica na internet após o primeiro duelo da final, era ovacionado a cada toque na bola. Faixas com a provocação publicada pelo jogador, com direito a erro grosseiro de gramática, balançavam em diversos pontos do Couto.
“Não sei se virei ídolo. Mas mostrei que sempre vou suar a camisa até a morte e que vim para ficar na história desse clube tão importante”, desabafou.
Do banco de reservas, o defensor Pereira, líder do plantel fora de campo, resumiu os percalços até a conquista. De todas as quatro taças, essa foi a com pior aproveitamento: 72,2% – foram 81,6% em 2010, 93,9% em 2011 e 76,3% em 2012.
“Foi difícil. Mas mostramos que somos um time maduro, competitivo. Vamos comemorar um pouquinho e logo virar o foco para a Copa do Brasil e Brasileiro”, fechou.